domingo , 20 agosto 2017
Home / Formação / O que é a Liturgia?

O que é a Liturgia?

O que é a Liturgia?

A palavra liturgia vem do grego “leit”, de “povo”, e “urgia”, que significa “ação”, “serviço” ou “obra”. Sendo assim, a palavra “liturgia” significa “obra pública”.

A Liturgia inclui o conjunto de todas as cerimônias oficiais da Santa Igreja: celebração dos 7 sacramentos, sacramentais (bênção da água, do sal…) e todos os demais ritos

Dentro da Igreja, a liturgia significa o serviço público oficial que ela mesmo realiza, com duas finalidades: a glorificação de Deus e a salvação das almas (SC 112).

O Catecismo da Igreja ensina que “pela liturgia, Cristo, nosso redentor e sumo sacerdote, continua na Igreja, com ela e por ela, a obra da nossa redenção.” (Cat. 1069)

Isto significa que através da liturgia, Jesus continua a nos salvar; de modo especial em cada Missa, onde se atualiza a Sua santa Paixão, Morte, Ressureição e Ascenção ao Céu; nela “torna-se presente a nossa redenção”.

Afirma a Constituição do Concílio Vaticano II Sacrosantum Concilium:

“Com razão portanto, a liturgia é tida como o exercício do múnus sacerdotal de Jesus Cristo, no qual, mediante sinais sensíveis, é significada e, de modo peculiar a cada sinal, realizada a santificação do homem, e é exercido o culto público integral pelo Corpo Místico de Cristo, cabeça e membros. Disto se segue que toda a celebração litúrgica, como obra de Cristo sacerdote e de seu corpo que é a Igreja, é ação sagrada por excelência, cuja eficácia, no mesmo título e grau, não é igualada por nenhuma outra ação da Igreja”. (SC,7)

Isto basta para mostrar o quanto é importante a Liturgia para o católico. Somente a Igreja, nascida sob Pedro (o primeiro Papa) e os Apóstolos, tem esta riqueza incomensurável intacta, recebida de Cristo e dos Apóstolos. Entretanto, muitos católicos ainda não conhecem o rico sentido da Liturgia, que se expressa por sinais sagrados, com ritos adequados, termos próprios, símbolos ricos, objetos litúrgicos, cores significativas, imagens, etc.

A Santa Igreja crê que a revelação completa e definitiva de Deus ao homem que se dá em Jesus“Cristo, o Filho de Deus feito homem, é a Palavra única, perfeita e insuperável do Pai. Nele o Pai disse tudo, e não haverá outra revelação senão esta.” (Cat. 65)

A Santa Igreja continua a obra da Salvação. Por isso ela conserva e ensina a Verdade, e administra os 7 sacramentos“Pela liturgia, Cristo, nosso redentor e sumo sacerdote, continua na sua Igreja, com ela e por ela, a obra de nossa redenção.” (Cat. 1069)

“Como Cristo foi enviado pelo Pai, assim também ele enviou os apóstolos, cheios do Espírito Santo, não só porque, pregando o Evangelho a todos os homens anunciassem que o Filho de Deus com sua morte e ressurreição nos livre do poder de satanás e da morte e nos transferiu para o Reino do Pai, mas também para que levassem a efeito, por meio do sacrifício e dos sacramentos, sobre os quais gira toda a vida litúrgica, a obra de salvação que anunciavam.” (SC 6)

No Antigo Testamento: A Lei e os profetas, os Salmos e os demais livros sapiensais, tiveram grande importância nestas celebrações, e ainda tem hoje. O próprio Jesus cantou Salmos na última Ceia. Veja algumas citações que se referem a liturgia:

“Moises aspergiu com sangue a Tenda e todos os utensílios do culto (liturgia)” (Hb,9,21)

“Completados os dias do seu ministério (liturgia), Zacarias voltou para a casa” (Lc 1,23)

“Celebravam eles (os primeiros discípulos) a liturgia em honra do Senhor” (At 13.2)

A Liturgia Católica, instituida por Jesus, visa celebrar (=tornar celebre), dar importância, honrar, exaltar, em comunidade, a Santíssima Trindade de modo especial e celebrar os “santos mistérios”

“Na Liturgia Deus fala a seu povo. Cristo ainda anuncia o Evangelho. E o povo responde a Deus, ora com cânticos, ora com orações. (SC,13)

Pela Liturgia a Igreja celebra o mistério de seu Senhor “até que Ele venha e até que “Deus seja tudo em todos” (1 Cor 11,26;15,28)

Assim para celebrar a Liturgia é preciso ter uma profunda noção do que é o Cristianismo; o conhecimento da história da salvação, obra de Cristo e da missão da Igreja. Sem isto a Liturgia não pode ser bem compreendida e amada, e pode se transformar em ritos vazios.

Podemos dizer que o último tempo da história da salvação – o tempo de Cristo e da Igreja – é o tempo da Liturgia, uma vez que ela torna presente a obra redentora de Cristo pela celebração dos Sacramentos. Assim, somos também nós participantes da historia da salvação.

A Liturgia é a própria historia da salvação em exercício, já que nela se celebra (torna presente) tudo o que Deus realizou ao longo dos séculos para salvar os homens.

Jesus nos revelou plenamente o Pai, e ensinou-nos a comunicar com Ele. Ele é a ponte entre nós e o Pai. Ele é o Caminho, o Sacerdote único que apresenta a Deus as nossas preces (cf. Hb 5,7) é por isso que nas celebrações litúrgicas fazemos todas as ofertas a Deus “ por Cristo, com Cristo e em Cristo”; tudo em seu Nome.

A Liturgia participa do grande desejo de Jesus: “ Desejei ardentemente comer esta Páscoa convosco (…) até que ela se cumpra no Reino de Deus”. (Lc 22,15-16)

Cristo está presente em sua Igreja, e de modo especial nas ações litúrgicas, para continuar a sua obra de salvação de todos os homens, de todos os tempos e de todos os lugares.

Ele está presente no sacrifício da Missa de várias formas: na pessoa do sacerdote, pois “aquele que agora oferece pelo ministério dos sacerdotes é o mesmo que outrora se ofereceu na cruz”, e de modo especial, sob as espécies eucarísticas. Ele está presente nos Sacramentos; assim, quando alguém batiza, é Cristo mesmo que batiza; Ele está presente por sua Palavra, pois Ele mesmo quem fala quando se lêem as Sagradas Escrituras na Igreja; e Ele está presente quando a Igreja reza: “Onde dois ou três estiverem reunidos em meu nome, aí estarei no meio deles” (Mt 18,20)

Powered by keepvid themefull earn money